Cirurgia para artéria carótida: quando é necessário e quando não é

Cirurgia para artéria carótida: quando é necessário e quando não é
As artérias carótidas são os principais vasos sanguíneos que levam sangue para o cérebro. São duas e ficam na parte lateral do pescoço. Quando são obstruídas por placas de gordura, podem causar um derrame. Existem duas maneiras de desobstruir as artérias carótidas: por uma cirurgia convencional chamada endarterectomia ou por uma cirurgia endovascular chamada colocação de stent. Os dois procedimentos são eficientes e seguros quando indicados na situação correta. Muitas vezes, a cirurgia da artéria carótida é realizada sem necessidade. Abaixo, estão algumas informações para se considerar antes de se submeter a uma cirurgia na artéria carótida:

A cirurgia muitas vezes não é necessária quando não há sintomas.
Se a pessoa teve um derrame ou um mini-derrame conhecido como ataque isquêmico transitório (AIT), a cirurgia pode ajudar a evitar um novo derrame. A situação em que a cirurgia mais ajuda é quando as artérias estão muito obstruídas. Mas se a pessoa não teve um derrame ou um mini-derrame, o benefício da cirurgia é pequeno. O tratamento com mudanças no estilo de vida  e medicamentos é eficaz e diminui o risco de ser ter um derrame.

A cirurgia tem riscos.
A cirurgia de carótida pode causar complicações como derrame e infarto no coração. Pessoas com mais de 75 anos, diabetes, doença no coração têm mais chance de ter complicações.

A cirurgia custa caro.
A cirurgia de carótida é um procedimento de alta complexidade. Seu custo é geralmente elevado, independente de ser feita em hospitais do sistema único de saúde (SUS) e em hospitais privados (convênios e particulares).

Então, quando a cirurgia de carótida deve ser realizada?
A cirurgia de carótida deve ser realizada quando a obstrução é muito acentuada e já causou um derrame ou um mini-derrame. Nestes casos, a cirurgia pode reduzir bastante o risco de um novo derrame. Quando a artéria carótida está muito obstruída, mas a pessoa ainda não teve um derrame ou um mini-derrame, a cirurgia pode evitar o derrame se a pessoa tem menos de 80 anos e não tem outros problemas de saúde graves. Neste caso, o cirurgião deve ter bastante experiência.

Compartilhe!